“Vigiem a si mesmos, para que os corações de vocês não se encham de festas, bebedeiras e preocupações com as coisas desta vida. Se vocês não fizerem isso, esse dia virá de repente e pegará vocês como uma armadilha. Vigiem-se a todo momento e orem para que sejam capazes de escapar de tudo o que vai acontecer e de se apresentar diante do Filho do Homem”. 
(Lucas 21.34, 36).

Esse texto está dentro de um contexto de uma série de recomendações que Jesusdá ao seus discípulos diante da realidade da Sua vinda.

Dentre essas recomendações está a exortação de que vigiemos a nós mesmos. De fato, é fácil estarmos atentas aos nossos pais, filhos ou cônjuges a ponto de esquecermos de nós mesmas.

A Bíblia dá razões para que cada um vigie a si mesmo:

1. Nosso coração é enganoso – a ponto de enganar a nós mesmas

“Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e perverso; quem o conhecerá?”
(Jeremias 17.10)

2. Ao olhar demais para os outros, perdemos a referência de quem de fato somos. Ninguém é suficientemente bom ou infalível.

“Portanto, se vocês pensam que estão de pé, cuidem para que não caiam. As tentações em sua vida não são diferentes daquelas que outros enfrentaram”.
(1Coríntios 10.12, 13)

3.  Nosso coração é tendencioso a ceder ao que é efêmero e ao que consideramos legítimo.

“…para que os corações de vocês não se encham de festas, bebedeiras e preocupações com as coisas desta vida”.(Lucas 21.34)

A questão principal aqui é que os dias de alegria ou mesmo os momentos de tristeza (que muitas vezes encontram sua origem na preocupação legítima por questões familiares ou do trabalho) ocupem, preencham o nosso coração.

Quantas de nós não somos sugadas por questões do trabalho ou problemas familiares ou quantas vezes permitimos que nossa vida espiritual funcionasse como um parque de diversões, nos envolvendo com aquilo que nos trouxesse prazer imediato?

Jesus nos dá estratégias para mantermos nosso coração livre:

“Vigiem-se a todo momento e orem”.
(Lucas 21.36)

Sejamos dependentes do Senhor, por meio da oração, no dia da alegria e no dia da angústia.

Depender do Senhor, em todo tempo, nos livrará de que tanto a alegria quanto a angústia sejam uma armadilha e nos impeçam de discernir:

a – o tempo que temos vivido; b – a vinda do Senhor.

Cuide de você mesma e esteja atenta para que suas alegrias ou alegrias de quem você ama, suas preocupações e as preocupações de quem você ama se tornem embaraço e a impeçam de estar em pé (de prontidão) na presença do Senhor.

Edilian Arrais

CategoriaArtigos
Comente:

*

Seu endereço de email não será publicado.

© 2013 Church Theme | Made with love.
Top
Follow us: