“Ora, aconteceu que, indo eu já de caminho, e chegando perto de Damasco, quase ao meio-dia, de repente me rodeou uma grande luz do céu” (Atos 22:6)

Paulo jamais podia conceber que a sua religiosidade um dia seria lançada ao chão. Não dá nem para imaginar como um dia aquele homem fora arrogante e intolerante. Em seu zelo pela religião judaica, Saulo perseguia e matava os cristãos porque julgava estar prestando serviço a Deus. Sua cegueira espiritual o levou a sacrificar vidas em nome de Deus, o que mais tarde perceberia que estava completamente errado. Saulo era um homem respeitado e temido, pois seu longo currículo lhe conferia posição de proeminência na sociedade dos seus dias (Atos 22.3; Filipenses 3.4-6). Esse status fazia de Saulo um homem duro e petulante, mas o que ele não percebia era o grande vazio que havia seu coração.

Às vezes podemos estar tão escondidos por trás de títulos e posição que não percebemos o quão cego nos encontramos. A busca por reconhecimento dos homens revela que precisamos ter uma experiência com a glória de Deus, experiência essa que lança ao chão nossa soberba e revela quão tolos nos tornamos (Filipenses 3.7-9).

Ao ser lançado ao chão, Saulo achou-se cego (vs.8). Na verdade, aquela experiência com a glória de Deus não o deixou cego, mas revelou as áreas de cegueira da sua alma. A glória de Deus expõem aqueles aspectos de nossas vidas em que ainda há trevas, levando-nos a um processo de humilhação, rendição e dependência de Deus. Qualquer brilho humano se ofusca ante a manifestação da perfeição divina. O Saulo prepotente agora era um homem frágil que necessitava de outros que o conduzissem pelas mãos!

Uma experiência com a glória de Deus envolve todo o nosso ser. Paulo teve seus sentidos transformados por essa experiência: Em Atos 26.13 a Bíblia nos relata que ele “viu”; no verso 14 o relato nos descrave que ele “ouviu” e no 15 Saulo “compreendeu”. Não há como termos uma experiência com a glória do Senhor sem que passemos por um processo em que todo o nosso ser seja radicalmente transformado e passemos a enxergar o mundo a partir dessa experiência.

Essa experiência radical de Paulo o levou a uma mudança dramática na forma como enxergava o mundo. A partir dali a sua vida nunca mais foi a mesma e então passou a seguir a Cristo e servi-lhe, tornando-se um dos apóstolos mais notáveis de toda a história. Quando temos uma experiência com a glória de Deus, a futilidade da nossa própria vida é confrontada ante a grandeza do propósito divino. Naquela experiência, Paulo recebe seu chamado e toma um rumo diferente daquele que havia caminhado (Atos 26.16-18). A experiência com a glória de Deus não só mostra os caminhos errados que tomamos, como nos coloca frente a um novo propósito de vida, agora reorientado pela vontade de Deus.

Por três dias Paulo permaneceu cego e nada comeu (Atos 9.9). Nesse tempo ele fez um balanço da sua vida e o Senhor pôde mostrar-lhe as áreas não tratadas que precisavam de rendição. Ao chegar Ananias, servo do Senhor, impôs-lhe as mãos e Paulo foi cheio do Espírito Santo (vs.17), as escamas espirituais caíram dos seus olhos (vs.18) e ele nunca mis foi o mesmo.

Talvez não tenhamos uma experiência tão dramática como a de Paulo, mas certamente Deus quer nos tocar como o tocou. Deixe ser transformado pelo poder da revelação da glória de Deus e passe a ter uma vida reorientada pelo propósito divino e não pelas suas próprias ambições.

Marcos Arrais

CategoriaPastoral
© 2013 Church Theme | Made with love.
Top
Follow us: