“Então a nuvem cobriu a tenda da congregação, e a glória do Senhor encheu o tabernáculo;
Êxodo” (Êxodo 40:34)

O tabernáculo, lugar onde Deus se revelava ao povo de Israel, foi uma obra prima construída durante a sua peregrinação no deserto. Ali os sacrifícios pelo pecado do povo eram oferecidos e o sumo-sacerdote entrava uma vez ao ano num compartimento chamado de o “santo dos santos” para oferecer sacrifício por ele e pela nação. O Tabernáculo foi um projeto minucioso em que todo o Israel foi envolvido na doação dos materiais e na confecção da estrutura. A vida espiritual, ou seja, o culto a Deus passaria a girar em torno daquela tenda que representava a habitação do próprio Deus entre o povo.

Ao sair do Egito, o povo não tinha mais uma pátria, nem uma organização civil, militar ou religiosa. O tabernáculo, então, constituía-se no centro da vida civil e da adoração a Deus que unificaria todas as 12 tribos de Israel. Durante a peregrinação no deserto, as tribos se acampavam em torno do tabernáculo, tornando-se um único povo, o povo de Deus. Uma estrutura de sacrifícios, ofertas e sacerdotes foi montada para oferecer apoio espiritual ao povo, que vinha ao tabernáculo trazendo suas vidas em dedicação ao Senhor.

Mas toda aquela obra de arte de nada valeria sem o principal: a glória de Deus! Era a presença de Deus (shekinah) que atestaria a legitimidade daquele projeto. Imagine você estar num deserto por quarenta anos e poder dispor de um lugar onde possa encontrar-se com Deus e com a sua glória! Em nossa peregrinação no deserto desse mundo, também temos um lugar em que o cansaço pode ser vencido e as nossas forças renovadas: a presença de Deus.

Deus deseja manifestar a sua glória enquanto caminhamos no deserto da vida. Deseja encher-nos da sua presença em nossas peregrinações neste mundo cheio de desafios e agruras. Podemos contar com essa promessa feita pelo próprio Senhor: “Disse pois: Irá a minha presença contigo para te fazer descansar” (Êxodo 33:14); “… e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos. Amém” (Mateus 28:20).

Hoje, a igreja de Cristo está sendo construída como habitação espiritual de Deus no mundo: “No qual também vós juntamente sois edificados para morada de Deus em Espírito” (Efésios 2:22); “Vós também, como pedras vivas, sois edificados casa espiritual e sacerdócio santo, para oferecer sacrifícios espirituais agradáveis a Deus por Jesus Cristo” (1 Pedro 2:5). Assim como a glória de Deus “cobriu” o tabernáculo no deserto, a igreja é o veículo onde esta glória, agora revelada em Jesus Cristo, quer se revelar também a um mundo em trevas.

Não temos mais um tabernáculo como aquele construído no deserto, pois Deus nos constituiu casa espiritual por meio da qual a sua glória se manifesta: “Mas, vindo Cristo, o sumo sacerdote dos bens futuros, por um maior e mais perfeito tabernáculo, não feito por mãos, isto é, não desta criação” ( Hebreus 9:11). Assim, a igreja de Cristo não pode reduzir-se a meras formalidades litúrgicas, mas deve cumprir sua missão de levar Cristo onde Ele não é conhecido, manifestando a glória e oferecendo a Deus “sacrifícios espirituais”: “Portanto, ofereçamos sempre por ele a Deus sacrifício de louvor, isto é, o fruto dos lábios que confessam o seu nome” (Hebreus 13:15). Deus espera derramar a sua glória na Igreja para que o mundo encontre um lugar onde possa encontrar-se com Ele e ser transformado.

Marcos Arrais

CategoriaPastoral
© 2013 Church Theme | Made with love.
Top
Follow us: