INTRODUÇÃO

Na era do individualismo, é preciso recuperar a perspectiva de comunidade.
Uma comunidade é mais que uma soma de indivíduos, é a união orgânica onde todos são parte de um mesmo corpo:

1 Coríntios 12:27: “Ora, vós sois corpo de Cristo; e, individualmente, membros desse corpo”.

A cruz é o ponto de convergência, é o lugar dos encontros da vida.

Queremos destacar quatro aspectos de conexão que a cruz realizou:

1º. CONEXÃO COM UMA COMUNIDADE

1. O ser humano foi criado como um ser social e só pode se realizar em comunidade

  • Ninguém pode se realizar como pessoa isolando-se uns dos outros, mas como pessoa-em-comunidade.

2. A nossa identidade pessoal (como indivíduos) somente é possível em um contexto social.

3. Por termos sido feitos por Deus seres sociais, só sabemos quem somos quando reconhecemos que Deus nos conhece pessoalmente e quando fazemos parte de uma comunidade com a qual nos identificamos.

  • “A comunidade de Cristo é a comunidade da cruz” [John Stott]

Tito 2:14: “O qual a si mesmo se deu por nós, a fim de remir-nos de toda iniquidade e purificar, para si mesmo, um povo exclusivamente seu, zeloso de boas obras”.

2º. CONEXÃO 360 GRAUS

1. A OBRA DO CALVÁRIO INCLUI A RESTAURAÇÃO DE TODAS AS RELAÇÕES (Consigo mesmo, com Deus, com o próximo e com a criação).

2. Nenhuma conversão é real se a pessoa fica centrada em si mesma.

  • Ela só reflete a realidade quando resulta em uma vida dependente de Deus e interdependente dos demais e de toda a criação de Deus.
3º. CONEXÃO ENTRE AS DIFERENÇAS (ABISMOS)

1. No próprio centro do propósito da redenção de Deus está a criação de uma nova humanidade na qual desaparecem as barreiras de gênero, raça e classe social.

Gálatas 3:28: “Dessarte, não pode haver judeu nem grego (RAÇA/ ETNIA); nem escravo nem liberto (CLASSE SOCIAL); nem homem nem mulher (GÊNERO); porque todos vós sois um em Cristo Jesus”.

• Mulher Samaritana
• Tg 2

2. Não podemos ser reprodutores dessas diferenças criadas pelo pecado.

3. Seguir a Jesus não é um projeto em que alguém se empenha individualmente, isolando-se dos demais.

  • Santidade é separar-nos do pecado e não das pessoas.
4º. CONEXÃO COM AS NECESSIDADES DO MUNDO

O propósito da cruz não foi só salvar indivíduos isoladamente, perpetuando a sua solidão, mas também criar uma nova comunidade cujos membros pertencessem a ele, amassem uns aos outros e zelosamente servissem ao mundo.

Conversão a Cristo significa também conversão à comunidade de Cristo, a medida em que as pessoas se voltam de si mesmas para Ele, e desta “geração corrupta” à sociedade alternativa que Ele está unindo em torno de si. Essas duas transferências – de fidelidade pessoal e participação social – não podem ser separadas.

O chamado de Jesus não é para a realização pessoal, a felicidade individual ou mera satisfação de necessidades religiosas: é um chamado para unir-nos a Ele no cumprimento do propósito divino para o homem.

CONCLUSÃO

O Calvário revoluciona nossa atitude para com Deus, para conosco mesmo, para com as pessoas tanto dentro quanto fora da comunidade cristã, e para com os graves problemas da violência e do sofrimento.

Se, apesar de sermos cristãos, levamos uma vida carente de sentido e missão, precisamos sentir-nos parte de uma comunidade que nos ajude a crescer em nosso compromisso com o Senhor.

Marcos Arrais

CategoriaEstudos Bíblicos
Comente:

*

Seu endereço de email não será publicado.

© 2013 Church Theme | Made with love.
Top
Follow us: