“Não há parede de separação que o Calvário não tenha derrubado. Não levantemos os muros que Jesus já destruiu” [Ef 2.12-16]

INTRODUÇÃO

“Religião” sempre foi entendida como um fator de separação, segregação, conflitos, exclusão e discórdias. Isso é tão sério que acabamos criando a máxima: “religião não se discute” e aí buscamos evitar os inevitáveis embates.

Entendendo o que é “religião”

Do latim religare, significando religação com o divino:

• Todos os homens têm a necessidade de relacionamento com Deus, porque para isso fomos criados
• Com a Queda, o homem criou vários sistemas, rituais e sacrifícios para se “re-ligar” a Deus (religião).
• Jesus veio “re-ligar” o homem a Deus. Só que Ele não fez isso instituindo um sistema de leis e rituais.

O lugar que Cristo escolheu para fazer essa conexão com o Pai foi o Calvário!

João 19:17: “Tomaram eles, pois, a Jesus; e ele próprio, carregando a sua cruz, saiu para o lugar chamado Calvário, Gólgota em hebraico”.

Entendendo os efeitos da queda (Gêneses 2):

Gênesis 2:17: “Mas da árvore do conhecimento do bem e do mal não comerás; porque, no dia em que dela comeres, certamente morrerás”.

A maior consequência do pecado é a MORTE. “Morte” significa SEPARAÇÃO/ ALIENAÇÃO:

• De Deus
• De si
• Do próximo
• Da criação

As tentativas do homem para reconectar-se/ religar-se a Deus:

Gênesis 3:7: “Abriram-se, então, os olhos de ambos; e, percebendo que estavam nus, coseram folhas de figueira e fizeram cintas para si”.

• Ídolos: escultura, natureza – Rm 1.22,23
• “Egolatria” – Rm 16.18; Fp 3.19 (hedonismo)
• Rituais – Cl 2.20-23

Uma boa notícia!

Gálatas 4:4-7: “Vindo, porém, a plenitude do tempo, Deus enviou seu Filho, nascido de mulher, nascido sob a lei, para resgatar os que estavam sob a lei, a fim de que recebêssemos a adoção de filhos. 6 E, porque vós sois filhos, enviou Deus ao nosso coração o Espírito de seu Filho, que clama: Aba, Pai! De sorte que já não és escravo, porém filho; e, sendo filho, também herdeiro por Deus”.

A cena do Calvário

O Calvário foi a revanche divina contra a tragédia do pecado.

As conexões que a cruz realizou:

1. Do homem consigo mesmo

Lucas 23:42: “E acrescentou: Jesus, lembra-te de mim quando vieres no teu reino”.

• Aquele homem tinha uma pendência com o seu passado. 2Co 5.17
• O primeiro cristão. O Reino de Deus foi “inaugurado” por um ex-criminoso!
• No Calvário não há acusação, há perdão, há reconciliação.

2. Do homem com o homem

João 19:26,27: “Vendo Jesus sua mãe e junto a ela o discípulo amado, disse: Mulher, eis aí teu filho. Depois, disse ao discípulo: Eis aí tua mãe. Dessa hora em diante, o discípulo a tomou para casa”.

• No Calvário Jesus realizou conexões familiares.
• Salmos 68:6a: “Deus faz que o solitário more em família; tira os cativos para a prosperidade…”.
• No Calvário não há solidão, há comunhão!

3. Do homem com Deus

Lucas 23:45: “E rasgou-se pelo meio o véu do santuário”.

• O caminho foi aberto!
• No Calvário não há separação, há aproximação, há união!

CONCLUSÃO

Pelo sangue de Cristo, derramado na Cruz do Calvário, tudo de que o pecado nos separou (matou), ele nos vivificou (nos aproximou).

O Calvário é o ponto de conexão entre nós e tudo aquilo que o pecado nos separou.

Marcos Arrais

CategoriaEstudos Bíblicos
Comente:

*

Seu endereço de email não será publicado.

© 2013 Church Theme | Made with love.
Top
Follow us: